O DNA da Maçonaria – As Companhias de Libré

Companhia de Libré

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre

 

Tradução – José Antonio de Souza Filardo

As 108 companhias de libré são nominalmente associações comerciais  com base na Cidade de Londres, quase todas conhecidas como “Venerável Companhia dos” profissionais ou profissão relevante. As companhias medievais de libré se desenvolveram originalmente como guildas e eram responsáveis ​​pela regulamentação de suas atividades, controlando, por exemplo, salários e condições de trabalho. Até a Reforma , elas estavam intimamente associadas a atividades religiosas, nomeadamente de apoio a  capelas  e igrejas e à realização de cerimônias, principalmente dramatizações de mistérios.

Algumas companhias de libré continuam a ter um papel profissional de hoje (por exemplo, os Escrivães admitem membros provectos dessa profissão, a  Venerável Sociedade dos Farmacêuticos concede qualificação de pós-graduação em algumas especialidades médicas, e a Venerável Companhia dos Cocheiros de Carruagens Hackney  é composta por aqueles que passaram “o conhecimento” e são motoristas de táxi licenciados de Londres). Outras Companhias de Libré tornaram-se puramente fundações de caridade (Por exemplo, os Fabricantes de Arcos ). A maioria das companhias de libré, particularmente aqueles formadas nos últimos anos, são organizações essencialmente sociais e beneficentes. As companhias de libré ativas desempenham um papel importante na vida social e na rede social da cidade de Londres, e têm uma longa história de mecenato cultural, e controle da Corporação da Cidade de Londres  (Que ainda funciona como uma Autoridade Local, com amplos poderes de governo local).

Após o Fabricantes de Leques terem se estabelecidos em 1709 (e posteriormente recebido uma libré em 1809), nenhuma nova companhia formou-se por mais de 100 anos, até os Mestres Navegantes em 1926 (libré em 1932). As companhias posteriores a 1926 são chamados companhias de libré modernas.

Formada em 1999, a Companhia de Profissionais de Segurança tornou-se uma companhia de libré em 19 de Fevereiro de 2008, quando o Tribunal de Representantes  da Corporação da Cidade de Londres  aprovou o Pedido de Libré. Nos últimos anos, muitas profissões (tais como advogados e contabilistas) estabeleceram novas guildas, com o objetivo obter uma libré e a mais recente é a de consultores fiscais (formados como uma guilda em 1995 e obtiveram libré em 2005). A partir de 2008 existem dois corpos antigos, a  Venerável Companhia dos Clérigos de Paróquia  e  A Companhia dos Meteorologias e Faroleiros  que, por razões históricas, são reconhecidas Companhias da Cidade sem Libré, enquanto que três outras guildas (Companhia de Educadores, Profissionais de Relações Públicas e Especialistas, Negociantes e Colecionadores de Arte) pretende obter uma concessão de libré.

Conteúdo

Governança

As companhias de libré são dirigidas por um Mestre (conhecido em algumas companhias como Primeiro Vigilante ou Bailio), alguns Vigilantes (que podem ser conhecidos como Superior, Médio, Baixo ou Locatário), e um Tribunal de Assistentes, que elege Mestre e os Vigilantes. O diretor operacional da companhia conhecido como o Caixa.

Os membros geralmente caem em duas categorias: homens livres e homens de libré . A pessoa pode se tornar um homem livre, ou adquirir a “liberdade da companhia”, atendendo aos critérios da companhia: tradicionalmente, a pessoa pode ser admitida por “patrimônio”, se qualquer um dos pais foi um “homem de libré” da companhia; por “servidão”, se serviu o número necessário de anos como aprendiz da companhia, ou por “redenção”, se pagar uma taxa. (A companhia pode também votar para admitir indivíduos como homens livres honorários). Os homens livres geralmente progridem para se tornarem homens de libré por meio de voto do tribunal da companhia. Historicamente, só os homens de libré podiam participar na eleição do Lorde Prefeito da Cidade de Londres , os xerifes , e os outros funcionários tradicionais da cidade.

Sedes ou Salões de Libré

Muitas companhias ainda tem um salão, onde os membros e seus convidados podem se divertir e onde os negócios da companhia são realizados. Entre as primeiras companhias conhecidas que tinham sedes eram os Mercadores Alfaiates e Joalheiros no século 14, mas nem os seus salões, nem de outras companhias originais permaneceram; os poucos sobreviventes do Grande Incêndio, juntamente com muitas reconstruções, foram destruídos durante os bombardeios  da  II Guerra Mundial  . Hoje, apenas cerca de 40 companhias têm sedes em Londres, que estão normalmente disponíveis para eventos empresariais e sociais, tais como reuniões comerciais e da sociedade e jantares, a mais antiga Sede sobrevivente hoje é a da Venerável Sociedade dos Farmacêuticos, datada de 1672. Companhias que não possuem sua própria sede normalmente pede emprestada uma das instalações de outras companhias para ocasiões sociais, ou compartilham instalações em base semipermanente, como a Venerável Sociedade de Fabricantes de Óculos, compartilhando a sede parcialmente com os Farmacêuticos. Uma companhia de Libré (o Vidraceiros) tem sua sede na margem sul do rio Tâmisa na Ponte de Londres, e está tecnicamente fora da Cidade de Londres.

Precedência

Em 1515, o Tribunal de Vereadores da Cidade de Londres definiu uma ordem de precedência para as quarenta e oito companhias de libré então existentes, que era baseada no poder econômicas ou político das companhias. As doze primeiras companhias de libré são conhecidas como as Grandes Doze Companhias de Libré da City . Existem hoje 108 companhias de libré, algumas de formação recente, assim a Ordem de Precedência às vezes é revista.

Os Alfaiates e os Peleteiros  sempre disputaram sua precedência, assim uma vez por ano (na Páscoa ) eles trocam o sexto e sétimo lugares entre si. Essa alternância é uma das teorias para a origem da frase  “a seis e setes“, como o Mestre dos Mercadores Alfaiates tem afirmado várias vezes, embora a primeira utilização da frase pode ter sido antes que os Alfaiates e Skinner decidissem alternar suas posições.  [1]  Ambas as companhias foram fundadas antes do nascimento de Chaucer, que foi uma das primeiras pessoas a usar a frase, por isso ela pode ser datada de antes dele.

3.1 Lista de Companhias de libré, na ordem de precedência

1. The Worshipful Company of Mercers (Comerciantes em Geral)

2. The Worshipful Company of Grocers

3. The Worshipful Company of Drapers (Comerciantes de Lã e Tecidos)

4. The Worshipful Company of Fishmongers

5. The Worshipful Company of Goldsmiths

6.  The Worshipful Company of Merchant Taylors (Alfaiates) (alterna-se com os Peleteiros)

7. The Worshipful Company of Skinners (Peleteiros) (alterna-se com os Alfaiates)

 8. The Worshipful Company of Haberdashers

9.  The Worshipful Company of Salters

10. The Worshipful Company of Ironmongers

11. The Worshipful Company of Vintners (Comerciantes de Vinho)

12. The Worshipful Company of Clothworkers

13. The Worshipful Company of Dyers

14. The Worshipful Company of Brewers

15. The Worshipful Company of Leathersellers

16. The Worshipful Company of Pewterers

17. The Worshipful Company of Barbers (Barbeiros, cirurgiões e dentistas)

18. The Worshipful Company of Cutlers

19. The Worshipful Company of Bakers

20. The Worshipful Company of Wax Chandlers

21. The Worshipful Company of Tallow Chandlers

22. The Worshipful Company of Armourers and Brasiers (Fabricantes de Armaduras e artigos de latão)

23. The Worshipful Company of Girdlers (Fabricantes de cintos e bainhas de espadas)

24. The Worshipful Company of Butchers

25. The Worshipful Company of Saddlers

26. The Worshipful Company of Carpenters

27. The Worshipful Company of Cordwainers (Trabalhadores em Couro)

28. The Worshipful Company of Painter-Stainers

29. The Worshipful Company of Curriers (Fabricantes de Couro)

30. The Worshipful Company of Masons

31. The Worshipful Company of Plumbers

32. The Worshipful Company of Innholders

33. The Worshipful Company of Founders (Metalúrgicos)

34. The Worshipful Company of Poulters

35. The Worshipful Company of Cooks

36. The Worshipful Company of Coopers (Fabricante de Barril)

37. The Worshipful Company of Tylers and Bricklayers

38. The Worshipful Company of Bowyers (Fabricantes de Arcos)

39. The Worshipful Company of Fletchers (Fabricantes de Flechas)

40. The Worshipful Company of Blacksmiths

41. The Worshipful Company of Joiners and Ceilers (Carpinteiros e Marceneiros)

42. The Worshipful Company of Weavers

43. The Worshipful Company of Woolmen

44. The Worshipful Company of Scriveners (Escrivães e Notários)

45. The Worshipful Company of Fruiterers

46. The Worshipful Company of Plaisterers (Profissionais de Gesso)

47. The Worshipful Company of Stationers and Newspaper Makers

48. The Worshipful Company of Broderers (Profissionais de Bordado)

49. The Worshipful Company of Upholders (Profissionais de Estofamento)

50. The Worshipful Company of Musicians

51. The Worshipful Company of Turners (Torneiros)

52. The Worshipful Company of Basketmakers

53. The Worshipful Company of Glaziers and Painters of Glass

54. The Worshipful Company of Horners

55. The Worshipful Company of Farriers (Fabricantes de ferraduras e veterinários de cavalos)

56. The Worshipful Company of Paviors (Pavimentadores de Estradas)

57. The Worshipful Company of Loriners (Fabricantes de Arreios)

58. The Worshipful Society of Apothecaries (Médicos e Farmacêuticos)

59. The Worshipful Company of Shipwrights

60. The Worshipful Company of Spectacle Makers

61. The Worshipful Company of Clockmakers

62. The Worshipful Company of Glovers

63. The Worshipful Company of Feltmakers (Fabricantes de Chapéus)

64. The Worshipful Company of Framework Knitters

65. The Worshipful Company of Needlemakers

66. The Worshipful Company of Gardeners

67. The Worshipful Company of Tin Plate Workers

68. The Worshipful Company of Wheelwrights

69. The Worshipful Company of Distillers

70. The Worshipful Company of Pattenmakers (Fabricantes de Tamancos)

71. The Worshipful Company of Glass Sellers

72. The Worshipful Company of Coachmakers and Coach Harness Makers

73. The Worshipful Company of Gunmakers

74. The Worshipful Company of Gold and Silver Wyre Drawers (Fabricantes de Fios Trançados para Uniformes)

75. The Worshipful Company of Makers of Playing Cards

76. The Worshipful Company of Fanmakers

77. The Worshipful Company of Carmen

78. The Honourable Company of Master Mariners (a primeira das companhias no século XX)

79. The City of London Solicitors’ Company

80. The Worshipful Company of Farmers

81. The Guild of Air Pilots and Air Navigators

82. The Worshipful Company of Tobacco Pipe Makers and Tobacco Blenders

83. The Worshipful Company of Furniture Makers

84. The Worshipful Company of Scientific Instrument Makers

85. The Worshipful Company of Chartered Surveyors

86. The Worshipful Company of Chartered Accountants in England and Wales

87. The Worshipful Company of Chartered Secretaries and Administrators

88. The Worshipful Company of Builders Merchants

89. The Worshipful Company of Launderers

90. The Worshipful Company of Marketors

91. The Worshipful Company of Actuaries

92. The Worshipful Company of Insurers

93. The Worshipful Company of Arbitrators

94. The Worshipful Company of Engineers

95. The Worshipful Company of Fuellers

96. The Worshipful Company of Lightmongers

97. The Worshipful Company of Environmental Cleaners

98. The Worshipful Company of Chartered Architects

99. The Worshipful Company of Constructors

100. The Worshipful Company of Information Technologists

101. The Worshipful Company of World Traders

102. The Worshipful Company of Water Conservators

103. The Worshipful Company of Firefighters

104. The Worshipful Company of Hackney Carriage Drivers

105. The Worshipful Company of Management Consultants

106. The Worshipful Company of International Bankers

107. The Worshipful Company of Tax Advisers

108. The Worshipful Company of Security Professionals

3.2 Companhias da Cidade Sem Concessão de Libré

Ambas não têm a intenção de se candidatar à Libré devido ao antigo status e costume.

Uma guilda reconhecida pelo Tribunal de Vereadores como uma ‘Guilda de Londres” solicita ao Tribunal para se tornar “uma companhia sem libré.” Após um período de alguns anos, a Companhia pede ao Tribunal o status de Libré, altura em que ela adota o nome de “Venerável Companhia ” dos … .

3.3 Outras guildas visando obter uma concessão de Libré

Publicado on abril 15, 2011 at 9:07 am  Comments (1)  

The URI to TrackBack this entry is: https://bibliot3ca.wordpress.com/607-2/trackback/

RSS feed for comments on this post.

One CommentDeixe um comentário

  1. […] Saiba mais no Blog do José Filardo: https://bibliot3ca.wordpress.com/607-2/ […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: