Sobre a “Construção” de Conhecimento e o Conhecimento de “Construção”

Traduzido por J. Filardo
Por Daniel Jacobi (Universidade Goethe de Frankfurt)

Desde sua chegada às Relações Internacionais (RI), cerca de 20 anos atrás, a ideia de ”construção social da realidade” estabeleceu-se firmemente na disciplina. Apesar de reconhecer que nem tudo foi construído socialmente, ”incluindo, por exemplo, o sabor do mel e o planeta Marte ” (Hacking, 1999:25), a noção erudita de que o ”social” está no cerne da (re) produção da ordem tomou o centro da cena. Com isso, inúmeros conceitos inovadores, tais como normas, ideias e identidades entraram oficialmente em nosso vocabulário, junto com a promessa de permitir um melhor estudo do “político”. No entanto, infelizmente, ao invés de embarcar em novos caminhos teóricos ou empíricos, muitos estudiosos apenas “derramaram os padrões emergentes de pensamento no antigo molde” (Wight 2002: 40) e pararam qualquer dimensão processual inerente ao novo vocabulário.

O conceito de conhecimento tem estado repetidamente na ponta receptora deste dilema. Muito frequentemente emprestado de sociólogos fenomenologicamente preparados e dos suspeitos costumeiros para a legitimação do desvio construtivista, Peter Berger e Thomas Luckmann, o conceito de conhecimento aparece com destaque como um ponto de acesso ao estudo da dimensão social da política internacional.

Ler mais: https://bibliot3ca.wordpress.com/sobre-a-construcao-de-conhecimento-e-o-conhecimento-de-construcao/

Published in: on fevereiro 12, 2017 at 3:54 pm  Deixe um comentário  
Tags: