Rito escocês retificado

Tradução José Filardo

 

O Rito escocês retificado ou Regime escocês retificado (R.E.R.) é um rito maçônico de essência cristã fundado em Lyon em 1778.

 Origens do rito

Ele foi desenvolvido principalmente por Jean-Baptiste Willermoz. Este célebre maçom de Lyon reformou o ramo francês da Estrita Observância Templária na Reunião Anual de Gaules em 1778, incorporando a ele elementos da Ordem dos Cohens Eleitos e renunciando ao Legado dos Templários. Podemos considerar esta data como o nascimento do R.E.R. Ele se inspira em diferentes sistemas iniciáticos existentes na época:

A evolução e transformação deste sistema durante as Reuniões Anuais de 1778 ( Lyon ) e de  1782  (Wilhelmsbad) levariam à criação do Rito Escocês retificado em 1782. Desde então, os rituais deste rito sofreu pouca ou nenhuma alteração. É um rito de essência cristã e cuja doutrina subjacente é o Tratado de Reintegração dos seres de Martinès de Pasqually .

 

Organização do rito

O Rito Escocês retificado é um rito maçônico estruturado em quatro graus maçônicos e um grau cavalheiresco acompanhados por um período probatório de escudeiro novato formando a Ordem Interior. O R.E.R. é Cristão  mas de acordo com os grupos que implementam esse cristianismo é permitido, seja em sentido estrito, referindo-se à Santíssima Trindade e a Encarnação do Verbo, quanto em um sentido mais amplo, isto é, sem referências dogmáticas.

Ele é estruturado da seguinte forma:

  • Lojas de São João (Lojas Azuis):
    • Aprendiz
    • Companheiro
    • Mestre
  • Lojas de Santo André (Lojas Verdes):
    • Mestre Escocês de Santo André
  • Ordem interior:
    • Escudeiro noviço
    • Cavaleiro Benfeitor da Cidade Santa (CBCS)
  • Classe secreta (colégio Metropolitano):
    • Professo
    • Grande Professo

 

As potências que praticam o R.E.R.

Encontram-se lojas que praticam o R.E.R. na maior parte das potências  francesas 1  bem como na  Suíça, na Bélgica, na Itália, na Espanha, em Portugal, na Inglaterra, no Brasil, no Togo, nos  Estados Unidos e, de forma mista em Quebec.

 

Protocolo de “boa conduta”

Um protocolo de boa conduta e uma carta comum foram escritos por alguns Grandes Priores na França. Eles foram assinados em 06 de dezembro de 2008, na sala do Conclave do Palais des Papes em Avignon diante de mais de 450 Irmãos Mestres Escoceses de Santo André dos quatro Grandes-Priorados envolvidos.

As Potências Soberanas signatárias:

Todos constituídos sob o Regime Escocês Retificado,

Eles mantêm entre si relações de consideração fraternal e para alguns deles relações de reconhecimento mútuo para as quais foram assinados tratados bilaterais.

Eles acordaram, em sua área de influência, que um protocolo de “boa conduta” visando determinados aspectos deontológicos particulares podem ser úteis para o exercício pacífico de sua jurisdição para o bem da Ordem Retificada em geral ou seu Regime em particular.

Este protocolo visa adotar uma atitude comum em relação aos aspectos específicos do processo de admissão dos seus membros, no caso específico definido abaixo.

É o caso em que eles recebem (por conveniência chamado Regime de entrada) um pedido de adesão individual de um Irmão que tenha recebido os graus superiores ao terceiro grau em um outro Regime (por conveniência chamado Regime de saída) e a fortiori um pedido de integração de uma Loja.

Eles concordam, na verdade, que tal pedido só pode ser o produto de uma situação excepcional que possa de fato ser o resultado de uma a livre escolha (demissão), mas também de circunstâncias às vezes dolorosas ou até mesmo repreensíveis (exclusão por qualquer razão, eliminação, dissolução…) e em que seja desejável que uma informação sobre ele seja obtido do Regime de saída.

Eles adotam, consequentemente, o seguinte procedimento:

  1. Em caso de recepção por um Regime de entrada de um pedido de filiação de um Irmão que recebeu graus acima do terceiro grau do Rito Escocês Retificado em um outro Rito e, a fortiori, de um pedido de integração de uma loja superior ao terceiro grau, o Regime de entrada informa o Regime de saída sobre esse pedido, para obter seus comentários.
  2. A comunicação é efetuada de Grande Chancelaria para Grande Chancelaria.
  3. Depois de um período de trinta dias, sem resposta, é considerado que o pedido não gerou comentários.
  4. Em caso de comentários, o Regime de entrada é sempre livre para ignorar; sua única obrigação é a transmissão de informações ao Regime de saída.
  5. A exigência aplica-se somente ao Regime de entrada, mas não exclui que uma informação espontânea seja fornecida pelo Regime de saída, quando da constatação da partida; essa iniciativa á facultativa e, em princípio, reservada aos casos graves.
  6. Se outros aspectos deontológicos merecerem ser tratados, eles estarão sujeitos a uma emenda ao presente protocolo por iniciativa de um dos Ritos signatários, mas afetará apenas os signatários da emenda.
  7. Este protocolo pode sempre ser cancelado sem aviso prévio por uma das Potências Soberanos signatárias, sem afetar a exequibilidade dele em relação aos outros Ritos.
  8. As regras de visitação são especificados aqui, em um documento separado.
  9. Se outra potência maçônica além daquelas incluídas neste protocolo, por sua vez, desejar ratificá-lo, seu pedido será analisado por todos os signatários, e somente poderá ser aceita por unanimidade entre estes últimos.

 

Carta de referência comum na prática do Rito Escocês Retificado

A Carta foi assinada em 6 de dezembro de 2008, na sala do Conclave do Palais des Papes em Avignon

Entre as Potências Soberanas signatárias:

  • Grande Priorado Independente de França
  • Província de Auvergne (GPDP, GPDF, GPDLA, GPDOMTOM)
  • Grandes Priorados Unidos das Três Províncias
  • Grande Priorado Escocês Reformado e Retificado de Occitana

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS: A prática do Rito Escocês Retificado é organizada no seio de Regimes dependentes de potências soberanas e autônomas.

Para favorecer um diálogo comum entre elas e abordar o essencial, dada a diversidade de sensibilidades da via retificada, as potências soberanas abaixo assinadas adotam os princípios em que acreditam ser comuns, com base em valores e da espiritualidade que são portadoras:

  • Referência a um princípio transcendente, livre de qualquer aspecto dogmático que aparece principalmente em igrejas, comunidades religiosas representativas ou organizados. Nenhum dos sacramentos (batismo…) ou rituais (Missa…) praticados em qualquer religião condiciona a admissão a um Regime Retificado, nem é exigido do Maçom retificado, nem é praticado como tal em reuniões realizadas sob a égide dos signatários, sendo o mesmo válido para qualquer outro ato civil que os possa substituir. Não cabe aos Regimes mencionados qualificar o caráter revelado de uma verdade. Essa transcendência é identificada com uma Palavra viva cujo fluxo circula como efeito de um trabalho maçônico criado em suas reuniões quando estas são regularmente constituídas no espírito das Assembleias fundadoras de 1778 e 1782. Assim, qualquer membro dos Regimes mencionados acima é perfeitamente livre de seu eventual compromisso religioso pessoal e lhe é reconhecida uma liberdade absoluta de consciência.
  • Referências aos valores morais e à abordagem esotérica do cristianismo das origens e, especialmente, o de João, cujo Evangelho aberto no seu Prólogo preside todos os graus do Regime.
  • Referência ao princípio da progressão iniciática:

O Rito Escocês retificado reconhece a progressão iniciática, que presume, portanto, que entre a colação dos graus sucessivos, seja observado um tempo mínimo de amadurecimento, com uma prática regular reconhecida (exceto se derrogado e devidamente justificado). Cada regime tem uma percepção própria desse prazos de colação, mas prazos mínimos substancialmente equivalentes são aceitos de acordo com uma grade mínima a ser definida.

É particularmente reconhecido que:

  • A colação do quarto grau não pode ocorrer antes de um período mínimo de quatro anos após a exaltação ao grau de Mestre.
  • O acesso à Ordem Interior não deve ocorrer antes de um período de prática do quarto grau inferior a três anos.

 

Notas

  1.  ↑  Na França, o  Grande Priorado Retificado da França  [ arquivo ] tem vínculos de amizade com o  Grande Priorado Independente da Suíça  [ arquivo ], enquanto o Grande Priorado escocês reformado e retificado de Occitana é oficialmente reconhecido e tem relações de amizade com o Grande Acampamento dos Cavaleiros Templários dos EUA, dependente do Rito de York. Uma jurisdição Retificada foi criada em 2011 no seio do Grande Acampamento.

 

Bibliografia  

  • Jean BaylotHistoire du R.E.R. en France au xxe siècle, PARIS, 1976, Éditions Villard de Honnecourt.
  • Roland Bermann, Le Grade de Maître Écossais de Saint André au Rite Écossais Rectifié : Sa nature et son ésotérisme, Éditions Dervy, 2008.
  • Roland Bermann, Le grade de Compagnon au Rite Écossais Rectifié : Sa nature et son ésotérisme, Éditions Dervy, 2009.
  • Roger Dachez, Jean-Marc Pétillot, Le Rite Écossais Rectifié, Que sais-je ?, Éditions Puf, 2010.
  • John-Barthélémy-Gaïfre Galiffe, La Chaîne symbolique, Origine, Développement et Tendances de l’Idée Maçonnique, Champion-Slatkine, Paris-Genève, 1986, introduction de Fabrizio Frigerio, (Réimpression de l’édition de Genève de 1852).
  • Alice Joly, Un Mystique Lyonnais et les secrets de la Franc-Maçonnerie, Jean-Baptiste Willermoz, Éditions Télètes, 1938.
  • René Leforestier, La Franc-Maçonnerie Templière et Occultiste aux xviiie et xixe siècles, Éditions Arche Milan, 1970.
  • Marius LepageL’Ordre et les Obédiences, Éditions Dervy, Paris.
  • Joseph de MaistreMémoire adréssé par Joseph de Maistre au Duc Ferdinand de BRUNSWICK-LUNEBOURG à l’occasion du convent de WILHELMSBAD 1782, Paris, Editions F. Rieder et Cie, Collection : “Christianisme”, 1925, In-8°, 128 pp.
  • Gérard Montagnac, La Grande Loge Rectifiée de France, Éditions du Prieuré.
  • Charles Montchal, Grand Prieuré Indépendant d’Helvétie, Régime Ecossais Rectifié, Genève, Kündig, 1911.
  • Pierre Noël, “Heurs et Malheurs du Rite Écossais Rectifié en France au XXème Siècle”, Acta Macionica n°10, 2000.
  • PapusMartinésisme, willermosisme, martinisme et franc-maçonnerie, Paris, Chamuel, 1899.
  • Jean SaunierLes Chevaliers aux portes du Temple, Éditions Ivoire-Clair 2005.
  • Jean TourniacPrincipes et problèmes spirituels du rite écossais rectifié et de sa chevalerie templière”, Éditions Dervy 1969.
  • Jean UrsinCréation et histoire du rite écossais rectifié, Éditions Dervy.
  • Jean Ursin, Le Maître Écossais de Saint-André, Éditions Ivoire-Clair 2003.
  • Jean-Marc VivenzaLe Martinisme, l’enseignement secret des maîtres : Martinès de Pasqually, Louis-Claude de Saint-Martin et Jean-Baptiste Willermoz, Le Mercure Dauphinois, 2006.
  • Jean-Marc Vivenza, René Guénon et le Rite Écossais Rectifié, 2007.
  • Jean-Marc Vivenza, Les élus coëns et le Régime Écossais Rectifié : de l’influence de la doctrine de Martinès de Pasqually sur Jean-Baptiste Willermoz, Le Mercure Dauphinois, 2010.
  • Jean-Marc Vivenza, Histoire du Grand Prieuré des Gaules, Le Régime Écossais Rectifié du xviiie siècle à nos jours, Les Éditions du Simorgh, 2011.

 

Artigos relacionados

 

Links externos

 

Fonte: Wikipedia

Publicado on agosto 24, 2013 at 1:55 pm  Comments (5)  

The URI to TrackBack this entry is: https://bibliot3ca.wordpress.com/rito-escoces-retificado/trackback/

RSS feed for comments on this post.

5 ComentáriosDeixe um comentário

  1. boa tarde, precisamos informações sobre fundação de loja no rito retificado…

  2. Sou MI GOB/GOPE tenho grande interesse em conhecer e praticar o RITO ESCOCÊS RETIFICADO.

  3. Essa página tem grande relevância para aqueles que praticamos e estudamos o R.E.R.

    Dásio Simões,·.
    A:. R:. L:. M:. Tradição Templária 190

    • É sempre bom termos mais referências sobre o R.’.E.’.R.’.

      Rafael Matos.
      A.’.R.’.L.’.S.’. Regeneração e Ordem 7. GOIRJ


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: