Podemos esperar de um impostor que ele seja um Presidente normal?

Tradução José Filardo

08-01-2013

 Se Pierre Corneille, advogado geral na mesa de mármore do Palácio, poeta e dramaturgo francês, em sua comédia, O Mentiroso, em ” belos semblantes escondendo baixas almas!”  ” satirizava essas personagens vis, Maurice Schumann, político, jornalista e escritor francês, antes de 1939, membro da seção francesa da Internacional dos Trabalhadores – SFIO (1) – e, depois, em 1944, membro  fundador do Movimento Republicano Popular,- MRP (2) -e, finalmente, membro da UD – Va, ” prefere um futuro imprevisível a um futuro impostor “.

Por definição, de acordo com o dicionário da Académie Française – 8a edição -, um impostor é aquele que cobra falsamente a alguém algo prejudicial e odioso, aquele que inventa, que utiliza uma falsa doutrina para seduzir os homens, para dividir, ou, ainda aquele com a tarefa de enganar, seja por falsas aparências de piedade, de sabedoria, de integridade, seja querendo personificar outro homem que ele não é. E seus sinônimos, alguns entre eles sendo qualificativos de mulheres e políticos,- exceto as pessoas que sofrem de síndrome do lacaio, seriam insensatos aqueles que não acreditam nela -, dificilmente são apetitosos: hipócrita, tartufo, judas, hipócrita, enganador, mentiroso, mitômano, prepotente, enganoso, mistificador, manipulador, ilusionista, falsificador, escroque, charlatão, enganador, usurpador, pérfido, traidor e, num sentido pejorativo, jesuíta.

Diante destes breves enunciados preliminares, sem outros enfeites, não posso deixar de pergunta se vocês já ouviram falar de Catão? Não os “Catões”, da antiga Roma, que são apenas a afrancezação de ” Cato “, mas Catão, o Barão Franz Xaver von Zwack,-1755/1843-, ensaísta alemão, ” Beurkundete Geschichte des Illuminaten -Ordens, e com Salvide, Areopagita(4) da Ordem dos Illuminati da Baviera e Catão, ” Da Reconquista,Da Renascença “, – em 1983 -, e ” Com ajudar Mitterrand a salvar o capitalismo na França “.,-em 1989 -, um quadriumvirato que consiste de uma cabeça pensante, François Mitterrand, um comandante esclarecido, Jacques Attali, um lacaio de serviço, Francois Holland e a caneta do  ensaísta, jornalista e escritor camaleão da esquerda, o Franco-Libanês André Bercoff, assinando alternadamente, este pequeno truque politico-politicalha de baixo nível de rato de esgoto, sob os pseudônimos de Philippe de Commines,  ” Os 180 dias de Mitterrand “,- em 1977 -, de Philippe Mura, “ Nada será mais “, – em 1981-, de Catherine Médicis, ” Estou chegando “, – em 2005 -, e ” Apagamos tuto e recomeçamos “, – em 2006 -, uma dezena de livros e atualmente artigos sobre ” Atlântico “e sobre ” Resposta Secular “, sob a sua verdadeira identidade.

Barão Franz Xaver von Zwack, Catão e a Ordem dos Illuminati da Baviera.

Foi em 1o de Maio de 1776, na Baviera, que o Dr. Adam Weishaupt – Spartacus -, antigo jesuíta e Professor de  direito canônico na Universidade de Ingolstadt, funda com Adolph Freiherr Knigge –Philo-, Franz Dietrich von Ditfurth,-Minos -, Johann Gottfried von Herder,- Damasus Pontifex -, Marquês de Costanzo –Diomedes -, William von den Busche,- Bayard -, o Barão Franz Xaver von Zwack – Catão – e livres-pensadores racionalistas e progressistas alemães, dinamarqueses… e franceses, – Jacques Pierre Brissot, convencional, regicida e escritor político francês, apresentado como o líder dos girondinos durante a Revolução francesa-, nas lojas maçônicas existentes da Alemanha, uma sociedade secreta chamada ” Círculo de Perfetibilistas “, depois batizada como ” Ordem dos Illuminati (5). »   Em 1785, por um édito do governo Bávaro proibindo todas as sociedades secretas, a saber a Maçonaria e os Illuminati da Baviera, os Illuminati são proibidos por alegadamente conspirar-geralmente aceito por todos os historiadores, o resto sendo  apenas fétida controvérsia -, para derrubar o Papa e todos os reis da Europa e implementar a constituição da Nova Ordem Mundial.

A partir de 1782, a ordem dos Illuminati espalha-se nos países ribeirinhos do Reno,- Renânia da Norte-Vestfália, Renânia-Palatinado e Sarre -, na Áustria e na Suíça e, a partir de 1787, na França, em Estrasburgo, depois em Paris, entre os membros da loja de Filaleto, onde alguns deles constituíram o núcleo secreto dos ” Filadelfos “. Sob a liderança de Johann Wolfgang von Goethe, que se juntou à Illuminati, em 1783, eminentes filósofos, escritores, cientistas e estudiosos francese do ” período do Iluminismo “, – mesmo que isso sempre seja debatido no meio do Pensamento Único e na Maçonaria -, todos os membros da Maçonaria defendem a causa dos ” Filadelfos ” e infiltram, a gangrenização se perenizando ao longo das décadas até o presente com a sua presença maciça nos Think tanks que florescem desde o fim da segunda Guerra Mundial, todas as lojas maçônicas e rosacruzes da França e de Navarra, da Europa e do mundo.

8 De janeiro de 2013 © Raymond Matabosch

 Notas:

(1) A Seção francesa da International dos Trabalhadores  é um partido político socialista francês que existiu sob este nome, a partir de 1905 até 1969. Em 17 De julho de 1969, quando do Congresso de Issy-les-Moulineaus onde ela se asscia à União dos clubes para a renovação da esquerda, e se torna o Partido Socialista. Alain Savary foi seu primeiro secretário, substituído em 16 de junho de 1974, no Congresso de Epinay sur Seine, embora não inserido no PS – , finalmente ele nunca foi -, por François Mitterrand.

(2) O MRP, partido político francês democrata-cristão fundado em 1944, dissolvido em 1967.

(3) O UD-Ve, União de democratas pela Quinta República, chamado em seguida, em 1968, de União para a defesa da República,- UDR -, é o nome adotado em 1967, pela União para a nova República,- UNR -destinada a apoiar a ação do general de Gaulle e fundada em 1958. A UDR, em 1976, tornou-se o Rassemblemente pour la République,- RPR -.

(4) Membro do Areópago,- tribunal, não aquele de Atenas, mas aquele dos Illuminati da Baviera -, cuja autoridade moral e experiência política eram consideradas.

(5) Franz Xaver von Zwack, « Beurkundete Geschichte des Illuminaten-Ordens.

 

===================

http://www.come4news.com/peut-on-attendre-dun-imposteur-detre-un-president-normal-preambule-1ere-partie-906422

Publicado on janeiro 9, 2013 at 10:32 am  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://bibliot3ca.wordpress.com/podemos-esperar-de-um-impostor-que-ele-seja-um-presidente-normal/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: