O SEGUNDO ESTATUTO SCHAW (1599)

Tradução José Filardo

Original do estatuto conservado na Loja Mary's Chapel no. 1 - Edimburgo

Original conservado na Loja Edimburgo no. 1

Como o documento é bastante longo, vários itens foram um pouco condensados e colocados numa sequência ordenada. A numeração dos parágrafos é feita para fins de referência conveniente:

(1) Edimburgo será, no futuro como no passado, a primeira e principal loja na Escócia; Kilwinning, a segunda “conforme é estabelecido em nossos escritos antigos”; e Stirling e será a terceira loja, “de acordo com os antigos privilégios dela.”

(2) O Venerável dentro dos limites de Kilwinning e outros locais sujeitos à sua loja, será eleito anualmente por maioria dos mestres da loja no dia vinte de Dezembro no Kirk de Kilwinning. Imediatamente após a eleição, o Venerável Geral deve ser notificado quem foi escolhido venerável.

(3) De acordo com as “antigas liberdades anteriores”, o venerável de Kilwinning estará presente na eleição de veneráveis dentro dos limites do distrito inferior de Cliddisdale, Glasgow, Ayr, e o distrito de CarriK. Além disso, o venerável e o diácono de Kilwinning terão autoridade para convocar os veneráveis dentro da referida jurisdição, quando qualquer coisa de importância deva ser realizada, tais reuniões devendo ser realizadas em Kilwinning ou qualquer outro lugar, na parte ocidental da Escócia incluída nos referidos limites, conforme o venerável e o diácono de Kilwinning possam determinar.

(4) O diretor de toda e cada loja será responsável perante os presbíteros do local em relação a todos os delitos cometidos por pedreiros membros dessas lojas. Um terço de todas as multas impostas por infrações serão aplicadas a usos caritativos .

(5) Os veneráveis juntamente com os mestres mais antigos, até o número de seis, de cada lodge realizarão uma investigação anual dos delitos cometidos e julgarão todos os infratores a fim de que a punição adequada possa ser aplicada com equidade, justiça e boa consciência, de acordo com o procedimento tradicional.

(6) O venerável mestre de Kilwinning nomeará seis pedreiros dignos e perfeitos, bem conhecidos no ofício como tais, para investigar as qualificações de todos os pedreiros do distrito, no que diz respeito à sua habilidade e conhecimento do negócio e sua familiaridade com o antigas tradições, a fim de que o venerável e o diácono possam ser responsáveis, posteriormente, por todas essas pessoas dentro de seu distrito e jurisdição.

(7) Autoridade é concedida ao venerável e diácono de Kilwinning para excluir das lojas do distrito todas as pessoas que voluntariamente não conseguem viver de acordo com “todos os atos e antigos estatutos estabelecidos desde tempos imemoriais”, também todos os que estão “desobedientes à sua igreja, ofício, conselho e outros estatutos e atos a serem promulgados seguir para a boa ordem.”

(8) O venerável e diácono, juntamente com os mestres do distrito  elegerão um notário bem conhecido como escriturário e secretário que preparará e assinará todas as escrituras, recibos e outros escritos pertinenetes ao ofício, e nenhum mandado, título ou outras provas serão admitidos pelo venerável e diácono, exceto se tiverem sido executados por este funcionário e assinados por ele.

(9) Todos os atos e estatutos feitos pelos antecessores dos construtores de Kilwinning serão observadas fielmente e mantida pelo ofício em todos os tempos; Aprendizes e artesãos serão admitidos e aceitos a partir de agora somente no Kirk de Kilwinning, como sua paróquia e segunda loja, e todos banquetes de aprendizes e companheiros de ofício serão realizados na loja de Kilwinning.

(10) Cada companheiro de ofício, em sua entrada, pagará à sua Loja dez libras destinadas ao banquete, e dez xelins para as luvas; antes da admissão, ele será examinado pelo venerável, o diácono e os mestres do distrito na loja quanto ao seu conhecimento e habilidade, e ele também executará uma tarefa a ele designada para demonstrar seu domínio da arte.

(11) Todo aprendiz, antes que ele é admitido, deverá pagar seis libras destinadas ao banquete comum.

(12) O venerável e o diácono da segunda loja da Escócia, a saber Kilwinning, obrigarão por juramento a todos os mestres e companheiros de ofício dentro do distrito a não se associar a profanos nem trabalhar com eles, nem permitir que isso seja feito por seu empregados ou aprendizes.

(13) O venerável mestre da loja de Kilwinning, sendo a segunda loja da Escócia, uma vez em cada ano, examinará cada companheiro e aprendiz, de acordo com a vocação de cada um, quanto à sua habilidade e conhecimento; aqueles que esqueceram qualquer ponto que lhes foi ensinado deverão pagar multas.

 

Publicado on abril 3, 2014 at 11:08 am  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://bibliot3ca.wordpress.com/o-segundo-estatuto-schaw-1599/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: