O que olha o olho que tudo vê?

Tradução José Filardo

Por Guy Chassagnard

olhoDo antigo Egito, muito antes de os autores do Antigo Testamento escrevessem suas primeiras linhas. O olho que tudo vê, é principalmente o Olho de Hórus, também chamado de Olho Oujdat (completo). Vamos dar uma olhada na história.

Enciumado com de seu irmão, Seth mata Osíris a quem decepa em pedaços; mas Isis, a esposa do Faraó, consegue restaurar seu corpo e devolver-lhe a vida, em tempo de conceber Hórus. Mais tarde, durante uma luta pelo poder, Seth arranca o olho esquerdo de Hórus. Daí a intervenção do deus Thoth para restaurar a integridade física do filho de Osíris.

O olho de Hórus tornou-se assim o símbolo da vitória do bem sobre o mal – que Seth representa. Os egípcios o representavam por um desenho estilizado misturando o olho do falcão e o olho humano. Símbolo da vida, da integridade, da sorte, da vitória da luz sobre as trevas, o Olho de Hórus aparece em medalhões, esculturas, pinturas em todo o Egito antigo; ele define a natureza sagrada do faraó. Para ter uma melhor visão do mar, os marinheiros o pintam na proa de seus barcos.

Se os judeus ignoraram Hórus e seu olho mítico, não se interessando a não ser nos “olhos do Eterno sobre os justos” (Salmo 34), os gregos fazem do filho de Osíris o deus criança Harpócrates, com virtudes tão numerosas quanto indefinidas. Os cristãos, por sua vez, deixarão passar os séculos antes de associar com um mesmo grafismo um triângulo e um olho que tudo vê, então dito Onisciente.

Foi durante o período medieval, especialmente no século XVII, que este símbolo foi introduzido nas catedrais e outros edifícios religiosos da Igreja Católica Romana; ele está, portanto, presente nas catedrais de Aix-la-Chapelle e Chartres; na igreja Saint-Roch em Paris, ou na Capela Real de Versalhes. Sob uma forma muito diferente daquela do olho de Hórus; trata-se de um triângulo equilátero contendo um olho sem cílios ou pálpebras, olhando nos olhos do observador. Nuvens, raios de luz destacam a ilustração.

O triângulo é como se fosse um símbolo da Trindade, o olho é o do Ser Supremo observando sua criação. Diante do crente, o triângulo mostra a porta da Jerusalém Celestial e a comunhão do homem com seu Deus.

Quando se pensa do olho que tudo vê, não se pode deixar de pensar as últimas linhas de um poema de Victor Hugo (A Consciência) relatando os últimos momentos de Caim, o assassino de seu irmão:

Quando ele estava sentado em sua cadeira na sombra

E que se fechou sobre sua fronte o subterrâneo,

O olho estava no túmulo e encarava Caim.

Note-se que em um uso secular, o pintor Jean-Jacques Le Barbier colocou – em 1789 – um delta luminoso contendo o olho que tudo vê em sua ilustração da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, entre a Monarquia, que detém as cadeias quebradas de tirania, e o Gênio da Nação, que carrega o cetro do poder.

• Para mais informações consulte: O Dicionário de Símbolos, de Jean Chevalier e Alain Gheerbrant (R. Laffont, 1969), bem como qualquer livro escolar sobre o Egito antigo.

© Guy Chassagnard – chassagnard@orange.net- Todos os direitos reservados

– Veja mais em: http://www.gadlu.info/miscellanea-macionica-que-regarde-loeil-qui-voit-tout.html#sthash.NXLYh0QI.dpuf

Publicado on março 29, 2014 at 8:44 am  Comments (1)  

The URI to TrackBack this entry is: https://bibliot3ca.wordpress.com/o-que-olha-o-olho-que-tudo-ve/trackback/

RSS feed for comments on this post.

One CommentDeixe um comentário

  1. obrigado pela tradução e posagem.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: