Maçonaria na Grécia (1993)

 

Tradução José Filardo

 

Por V.´. Irmão Jack Buta MPS
PM Paradise Valley Silver Trowel Lodge #29
Arizona Grand Lodge, EUA
Maçom Grau 32 do Rito Escocês

Extrato do Artigo “A CONSPIRAÇÃO DE DEUS”

 

Em 1864, o Grande Oriente da Grécia obteve uma carta constitutiva do Grande Oriente da Itália, estabelecendo a primeira Grande Loja Grega.

Apesar de não ser mencionado entre os participantes do Congresso de Lausanne de 1875, o Supremo Conselho da Grécia teve um representante lá, pelo menos para os primeiros dias. Seu representante não era outro senão o Ilustre Irmão Lindsay Mackersy. O alvoroço que se seguiu à denúncia de Mackersy do Congresso, ostensivamente baseada na formulação do Princípio criador causou um cisma na Maçonaria grega. Vários membros do Supremo Conselho grego e do Grande Oriente, sob a liderança do Prof N. Damaskinos, Grão-Mestre Adjunto e Vice-Grão-Comandante, eleito para colocar-se junto com o francês e formou o “Supremo Conselho, Grande Oriente da Grécia”.

O cisma terminou em janeiro de 1907 após uma negociação de dois meses em que ficou acordado que o Grande Oriente/Supremo Conselho conferiria os graus do Craft e reconheceria o Supremo Conselho original como o único legítimo Corpo do Rito Escocês na Grécia. Em contrapartida, o Supremo Conselho concordou em reconhecer todos os graus e oficiais conferidos durante os quase 30 anos do cisma. Com isso resolvido, a Maçonaria grega parecia ter progredido muito bem até meados da década de setenta. Havia apenas uma mosca na sopa.

Embora a maioria dos cipriotas se considerassem gregos, eles estavam sob domínio britânico desde 1893 e Maçonicamente falando estavam sob a GLUI. Quando os cipriotas de língua grega foram rejeitados em uma loja em sua própria língua, eles se voltaram para o Grande Oriente da Grécia. O Grande Oriente, que via a ilha como grega, concedeu carta constitutiva a uma loja em língua grega em Limassol. Em outubro de 1918, o Supremo Conselho grego escreveu ao Supremo Conselho Inglês perguntando se ele teria alguma objeção quanto aos gregos criarem um Consistório em Limassol. Quando o Supremo Conselho Inglês opôs-se o Consistório grego recebeu carta constitutiva.

Pelos 15 anos seguintes, uma série de acordos entre os dois corpos maçônicos gregos criou alguma confusão quanto a qual corpo podia fazer o quê.

Em 1927, por decreto presidencial, o Grande Oriente da Grécia foi reconhecido como uma fundação filosófica e filantrópica. Dada a paranoia que existe na maior parte dos governos sobre a Fraternidade, este decreto ilustra a alta conta em que os gregos tinham a Maçonaria.

O Irmão Souvaliotis recorda-se da queda da Grécia diante dos alemães e a tentativa de destruição da ordem naquele país. “À medida que a década de 30 chegava ao seu fim, as nuvens de guerra estavam se formado sobre a Europa, e quando a guerra chegou à Grécia, muitos maçons gregos participaram ativamente da luta épica nas montanhas do Épiro do Norte, enquanto as Lojas nas cidades estavam ajudando da forma que podiam, principalmente através do envio de pacotes de roupas de lã para ajudar as tropas a enfrentar as duras condições de inverno. Ao leme da Nação na época, estavam dois maçons: O Rei e o Primeiro-Ministro.

A Grécia estava, então, lutando por sua independência e sua liberdade. Ela deu ao Mundo Livre sua primeira vitória desde que o resto da Europa tinha caído diante das divisões nazistas e a Inglaterra ficado sozinha aguardando uma possível invasão das Ilhas Britânicas. A luta vitoriosa de seis meses contra os invasores italianos tinha chegado a um fim, quando as divisões alemãs invadiram a Grécia vindas da Bulgária e da Iugoslávia. As poucas e galantes tropas que enfrentaram o segundo invasor, lutaram tão bravamente que quando eles finalmente capitularam, os invasores apresentaram armas a eles, fato que – tanto quanto sabemos – nunca acontecera antes ou depois.

Os alemães chegaram a Atenas dentro de 21 dias de sua invasão, e uma de suas primeiras ações foi ir à sede da Maçonaria, confiscar quaisquer registros deixados ali e causar sérios danos ao imóvel. Este também foi o destino des outros imóveis maçônicos em todo o País. Em seguida, eles prosseguiram até a residência do então Grão Mestre, Irmão Philotas Papageorgiou e o colocaram sob prisão. Ele foi levado à prisão onde foi mantido sob condições muito duras, que causaram danos irreparáveis ​​à sua saúde e, embora fosse libertado cerca de sete meses depois, ele nunca se recuperou e morreu em 1947. ”

De 1933 a 1993, estas questões foram resolvidas, mas não antes de a GLUI usa-los para fundamentar a sua retirada do reconhecimento do Grande Oriente, que tinha sido rebatizado após a Segunda Guerra Mundial como Grande Loja da Grécia. A Grande Loja imediatamente removeu a base para essa acusação, declarando nulos os acordos restantes. Tal como acontece com todas as decisões políticas, os motivos declarados para tomar qualquer ação raramente têm qualquer relação com as preocupações subjacentes.

Então, em 1976, vários maçons gregos decidiram importar os graus do Rito de York americano. Alguns anos mais tarde, os líderes deste Rito de York americano solicitaram o reconhecimento da Grande Loja da Grécia. Sua petição foi rejeitada e os seus membros ameaçados de expulsão da Grande Loja. Esta atitude e vários outros eventos, eventualmente, levaram à criação da Grande Loja Nacional da Grécia em 1986.

Então algo inesperado aconteceu, os líderes da Grande Loja Nacional decidiram abandonar o Rito de York americano e adotar os Santo Real Arco britânico e os outros graus além do Craft (Marca, Royal Mariner, Degrees Cryptic, e assim por diante). Em seguida, a Nacional também embarcou em um esforço coordenado para obter o reconhecimento, inicialmente da GLUI e de outras Grandes Lojas estrangeiras.

Uma vez que a GLUI não poderia parecer violar o princípio alardeado de competência exclusiva, ela tinha um problema que tentou resolver em 1993, ameaçando a Grande Loja da Grécia, com a retirada do reconhecimento com base nas seguintes acusações:

Primeiro, que a Grande Loja estava envolvida em política, permitindo a discussão da questão do reestabelecimento de uma república grega da Macedónia em reuniões maçônicas (Este tem sido um tema muito discutido na Grécia desde 1905, quando a área se libertou do Império otomano. A República Grega da Macedônia finalmente tornou-se uma realidade em 1991).

Em segundo lugar, que ela tinha retirado a necessidade do Juramento das Obrigações.

Em terceiro lugar, que era subserviente ao Supremo Conselho.

Só se pode presumir que a semelhança dessas acusações àquelas levantadas contra a Grande Loja da França é mera coincidência.

A Grande Loja da Grécia, a fim de anular as acusações relativas ao Supremo Conselho fez o seguinte: Ela anunciou a revogação dos acordos acima mencionados.

Ela alterou sua Constituição, removendo todas as referências ao Rito Escocês e às Constituições de 1762 e 1786, e mudou seu nome mais uma vez para “A Grande Loja da Grécia, AF & AM.

Ela introduziu o Santo Real Arco na Maçonaria do Craft grego usando a terminologia da GLUI, isto é, “A Maçonaria Craft na Grécia consiste nos graus de Aprendiz, Companheiro e Mestre Maçom, incluindo a ordem do Real Arco.”

Independentemente das ações adotadas para acalmá-los, a GLUI já havia se comprometido com um curso de ação e retirou efetivamente o seu reconhecimento da Grande Loja da Grécia e deu-o à Grande Loja Nacional da Grécia de estilo inglês em 1994.

Em 1999, era evidente que outras jurisdições não estavam mais dispostas a aceitar as decisões arbitrárias, obviamente tendenciosas da GLUI quanto a qual Jurisdição era ou não regular. Naquele ano, a GLUI reverteu sua decisão anterior e retirou o reconhecimento da Grande Loja Nacional da Grécia. Em 2000, a GLUI restabeleceu o reconhecimento da Grande Loja da Grécia. Mas a tempestade sobre a regularidade estava longe de terminar.

 

Publicado on agosto 30, 2013 at 8:53 am  Comments (1)  

The URI to TrackBack this entry is: https://bibliot3ca.wordpress.com/maconaria-na-grecia-1993/trackback/

RSS feed for comments on this post.

One CommentDeixe um comentário

  1. […] Maçonaria na Grécia (1993) […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: