CLIPSAS

CENTRO DE LIGAÇÃO E DE INFORMAÇÃO DAS POTÊNCIAS MAÇÔNICAS SIGNATÁRIAS DO APELO DE ESTRASBURGO.

História

Foi fundado em 22 de janeiro de 1961, por iniciativa do Grande Oriente de França e mais onze potências maçônicas soberanas a quais, diante da intransigência crescente e das exclusivas de certa obediências, combinaram de lançar um apelo a todos os maçons do mundo, a fim de reuni-los, respeitando sua soberania, suas crenças, seus ritos e seus símbolos, numa verdadeira e indissolúvel Corrente de União Universal.

É uma associação registrada na Prefeitura de Paris e regida pela lei francesa de 1º de julho de 1901, de associações reconhecidas.

O CLIPSAS se constitui numa organização internacional da maçonaria liberal de todo o mundo. Aderindo è ética proposta pelo fundadores, nós nos orgulhamos de submetermos nossa fidelidade apenas à mensagem de tolerância, de fraternidade e de união.

Seu objetivo é congregar maçons, homens e mulheres, que considerem que a LIBERDADE ABSOLUTA DE CONSCIÊNCIA é a grande vitória da humanidade sobre ela mesma.

Avanços maiores no reconhecimento da Liberdade Absoluta de Consciência, que compreende por definição a liberdade de associação e, na direção da reconciliação entra as diferentes concepções metafísicas da Maçonaria, as Lojas das Obediências-membros do CLIPSAS são livres para abrir seus trabalhos com ou sem a Bíblia e de faze-lo ou não sob a égide do Grande Arquiteto do Universo.

O CLIPSAS é o Centro de União Fraternal dos Maçons que consideram que a liberdade de consciência é uma vitória da humanidade sobre si mesma e que, longe de ser um fator de desunião, ela conduz, graças à livre confrontação de opiniões, à supressão de todas as barreiras.

Ultrapassando as simples relações de ligações fraternais, as Obediências do CLIPSAS sentiram a necessidade de fazer em comum o estudo dos problemas que determinam o futuro do homem. Para esse efeito. O Clipsas organiza um Colóquio anual a fim de discutir temas que preocupam o mundo moderno, depois deles terem sido objeto de discussão durante o ano, nas Obediências-membros.

Dessas reflexões comuns feitas por maçons de diferentes continentes, de culturas variadas se produzem sínteses bem construtivas.

O Órgão Supremo do CLIPSAS é sua Assembléia Geral anual, composta de representantes especialmente designados, geralmente o próprio Grão Mestre, e da qual todos os maçons e maçonas, mesmo aprendizes, de cada Obediência, podem participar.

Para administrar a associação entre as reuniões da Assembleia, esta elege uma Diretoria, integrada por um Presidente e seis Vice-Presidentes, com mandatos de três anos.

As Presidências do CLIPSAS :

GRAND ORIENT DE BELGIQUE 1961-1990
Georges BEERNAERTS 1961-1962
Charles CASTEL 1962-1964
Walter HEINZ 1964-1966
Paul VAN HERCKE 1966
Robert DILLE 1966-1970
Victor MARTINY 1970-1973
Pierre BURTON 1973-1976
Jaak NUTKEWITZ 1976-1979
André MECHELYNCK 1979-1982
Nicolas BONTYES 1982-1985
Silvain LOCCUFIER 1985-1987
Guy VLAEMINCK 1987-1990

GRAND ORIENT DE FRANCE 1990-1993
Jean-Robert RAGACHE 1990-1993

GRAND ORIENT DE LUXEMBOURG 1993-1996
Marc-Antoine CAUCHIE 1993-1996

GRANDE LOGE FÉMININE DE FRANCE 1996-1998
Marie-France COQUARD 1996-1998

GRANDE LOGE SYMBOLIQUE ESPAGNOLE 1998-2000
Javier OTAOLA BAJENETA 1998-2000

GRAND ORIENT DE LUXEMBOURG 2000-2004
Marc-Antoine CAUCHIE 2000-2004

GRANDS ORIENT ET LOGE ASSOCIÉE DU CONGO 2004-2007
Gabriel NZAMBILA 2004-2007

GRANDE LOJA UNIDA DO PARANÁ 2007-2010
Jefferson Isaac Joăo SCHEER 2007-V2007

GRAND ORIENT DE LUXEMBOURG 2008-2011
Marc-Antoine CAUCHIE 2008-2011

GRANDE ORIENTE LUSITANO 2011-2014
António REIS 2011-2014

 

Numerosas obediências masculinas, mistas e femininas da Europa, da África, da Ásia e das Américas responderam ao Apelo de Estrasburgo e uniram-se à Corrente de União Universal.

Aderindo à ética proposta pelos fundadores, todas nossas Obediências :

–   honram-se de sua fidelidade absoluta à mensagem de tolerância, de fraternidade e de união contida no art. 1 das Constituições de Anderson e cujo respeito permanece sua regra de ouro.

–   acreditam que a Maçonaria tem por missão reunir pessoas que sem ela seriam permanentemente estranhos e que o Maçom deve ser um elemento de concórdia entre todos os homens.

–   consideram que o essencial da Maçonaria consiste em seu ideal social de fraternidade e de dever e năo na observância rígida de qualquer costume, mesmo que tradicional.

–   que uma espiritualidade que une estreitamente o homem ao futuro da humanidade e à melhoria de sua condição tem tanto valor moral quanto aquele que ele pode encontrar em suas relações com um princípio supranatural.

Por ser progressiva, nossa Maçonaria, consciente de realizar na sociedade científica moderna a generosa intenção de nosso Mestre Anderson, pelo seu prolongamento natural, a liberdade completa do espírito, não admite nenhuma limitação à liberdade absoluta de consciência.

A realização deste ideal exige o entendimento de todos os maçons dentro de uma harmonia em que cada nota conserve seu valor e, dentro do respeito à liberdade de cada um. Uma Maçonaria que tenta cumprir sua missão, não repeliria qualquer dos valores capazes de fortifica-la.

Todos os seres humanos, quaisquer que sejam suas raças, sua religião, situação social, seus ideais filosóficos ou políticos, sua concepção econômica, se eles são livres e probos, devem comungar de uma mesma vontade de união para permitir a edificação de uma vasta reunião maçônica universal cuja necessidade é mais imperativa do que jamais foi.

Se as exclusivas se mantém, elas não provém de nós e nós evitamos de cria-las nós mesmos. Longe de ser um obstáculo à União, acreditamos que a diversidade de valores morais constitui um fator de riquezas intelectuais e espirituais indispensáveis a seu desabrochar.

Com o espírito desses valores o CLIPSAS exprimiu ao Mundo suas convicções e seu engajamento moral através do Apelo de Lisboa. Nele, sem ambiguidades, o Clipsas assumiu uma posição sobre os maiores problemas da Humanidade, no limiar do século 21:

“Os Maçons de hoje, membros do CLIPSAS, homens e mulheres de diferentes raças, de diferentes convicções filosóficas, de todas as nacionalidades, que nutrem laços de fraternidade entre eles e com os seres de todos os continentes lançam o presente apelo:

–   que todos os habitantes da Terra se unam em ações que favoreçam o surgimento de uma verdadeira solidariedade humana,

–   que eles se levantem contra todo integrismo, toda agressão, toda exclusão,

–   que trabalhem pelo desenvolvimento harmônico de todos os seres humanos com liberdade de consciência e respeito mútuo

Para atingir esses objetivos é necessário que cada homem e mulher desempenhem bem o seu papel trabalhando progressivamente pela eliminação progressiva da injustiça econômica mundial, a alienação física, moral e espiritual dos povos e o respeito ao meio-ambiente.

É o objetivo de todos os maçons signatários do presente apelo que trabalham segundo os princípios das tradição humanista.”

Juntando-se à União de Estrasburgo, através do CLIPSAS, a maçonaria ligada à liberdade de consciência e a uma perfeita tolerância mútua contribui para o ideal humanista e para o restabelecimento da Corrente de União das Constituições de Anderson.

Publicado on julho 23, 2013 at 3:23 pm  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://bibliot3ca.wordpress.com/clipsas/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: