7 ideias brilhantes de Noam Chomsky sobre o Império Americano

Tradução José Filardo

Um dos maiores pensadores do país explica a Nova Ordem Mundial.

 17 de janeiro de 2013 |

chomsky

Noam Chomsky é um especialista em muitos assuntos – linguística, como funciona a nossa economia e propaganda, entre outros. Uma área em que a sua sabedoria brilha especialmente é na articulação da estrutura e funcionamento do império americano. Chomsky tem falado e publicado sobre o tema desde os anos 60. Abaixo estão sete citações poderosas sobre os males, atrocidades e ironias do império americano retiradas de  seu site pessoal  e de um site cuidado por um admirador dedicado à coleta das observações de  Chomsky .

1. [No início de 2007] houve uma nova onda de artigos e manchetes na primeira página sobre a “escalada militar chinesa”. O Pentágono afirmava que a China tinha aumentado sua capacidade militar ofensiva – com 400 mísseis, que poderiam ser nucleares. Então, tivemos um debate sobre se isso prova que a China está tentando conquistar o mundo ou os números estão errados, ou algo assim. Apenas pequena nota de rodapé. Quantos mísseis nucleares ofensivos armados têm os Estados Unidos? Bem, descobre-se que são 10.000. China pode ter agora talvez 400, se você acredita nos falcões. Isso prova que eles estão tentando conquistar o mundo.

Acontece que, se você ler a imprensa internacional de perto, que a razão para a China estar construindo sua capacidade militar não é só por causa da agressividade dos EUA em todos os lugares, mas o fato de que os Estados Unidos vem melhorando as suas capacidades de definir alvos, de modo que eles poem agora destruir bases de mísseis de uma forma muito mais sofisticada, onde quer que estejam, mesmo se elas forem móveis. Então, quem é mesmo que está tentando conquistar o mundo? Bem, obviamente, os chineses, porque, uma vez que ele nos pertence, eles estão tentando conquistá-lo. É fácil demais continuar com isto indefinidamente. Basta escolher o seu tópico. É um bom exercício tentar. Este princípio simples, “somos os donos do mundo”, é suficiente para explicar um monte de discussão sobre assuntos estrangeiros. – r de ” Somos Os Donos do Mundo ” 01 de janeiro de 2008.

2. “Podemos parar a militarização do espaço? Certamente parece que podíamos. O motivo é que os EUA sozinhos, literalmente sozinhos, está pressionando por isso. O mundo inteiro está contra, principalmente porque eles estão com medo. Os EUA estão muito à frente. Se outros países não estão dispostos, nem mesmo a sonhar com um domínio e controle do mundo de espectro total , eles estão muito para trás; eles reagirão, sem dúvida. Mas eles gostariam de cortá-lo. E existem vários tratados, que, de fato, já estão em vigor, que são suportados literalmente por todo o mundo e que os EUA estão tentando derrubar. Um deles é o Tratado do Espaço Exterior, de 1967, que proíbe a colocação de armas no espaço exterior. Todos assinaram, entre eles os Estados Unidos. Ninguém tentou colocar armas no espaço exterior. Vem sendo observado e seria facilmente detectada se alguém o quebrasse. Em 1999, o tratado surgiu na Assembleia Geral da ONU, e a votação foi cerca de 163 a 0, com 2 abstenções, os EUA e Israel, que vota automaticamente com os EUA.” –  “Militarização do espaço para proteger os interesses e investimentos dos EUA”,  Revista da Internacional Socialista Edição 19, Julho-Agosto de 2001

3. “A globalização é o resultado de governos poderosos, especialmente o dos Estados Unidos, empurrando acordos comerciais e outros acordos goela abaixo dos povos do mundo para tornar mais fácil para as empresas e os ricos dominar as economias de nações ao redor do mundo, sem ter obrigações com os povos daquelas nações. ” –  Lucro acima de Pessoas:  Neoliberalismo e a Ordem Global

4. “[Os EUA ainda atribui nomes] a helicópteros militares com o nome de vítimas de genocídio. Ninguém pisca um olho sobre isso: Blackhawk. Apache. E Comanche. Se a Luftwaffe desse os nomes de Judeu e Cigano a seus helicópteros militares, acho que as pessoas perceberiam. ” –  Propaganda e a Mente do Público: Conversas com Noam Chomsky e David Barsamian

5. “Se algo é certo (ou errado), para nós, é certo (ou errado) para os outros. Segue-se que se é errado para Cuba, Nicarágua, Haiti, e uma longa lista de outros bombardear Washington e Nova York, então está errado para Rumsfeld bombardear o Afeganistão (sob pretextos muito mais triviais), e ele deve ser levado à barra dos tribunais por crimes de guerra. ” –  “Sobre o Terrorismo”,  Noam Chomsky entrevistado por John Bolender, Jump Arts Journal, janeiro de 2004

6. “Suponha que, por exemplo, a China estabelecesse bases militares na Colômbia para realizar guerra química em Kentucky e Carolina do Norte para destruir esta cultura letal [o tabaco] que está matando um grande número de chineses.” –  Noam Chomsky  sobre a ironia da guerra às drogas travada pelos Estados Unidos na América Central e do Sul

7. Os EUA, é claro, estão preocupados com o poder iraniano. Essa é uma razão pela qual os EUA se voltaram para apoio ativo ao Iraque nos estágios finais da guerra Irã-Iraque, com um efeito decisivo sobre o resultado, e por isso que Washington continuou o seu namoro ativo com Saddam Hussein até que ele interferiu com os planos dos EUA para o região, em agosto de 1990. As preocupações dos EUA sobre o poder iraniano também se refletiram na decisão de apoiar o ataque assassino de Saddam contra a população xiita do sul do Iraque em março de 1991, imediatamente após a luta ter parado. Uma razão estreita era o medo de que o Irã, um Estado xiita, pudesse exercer influência sobre os xiitas iraquianos. Uma razão mais geral era a ameaça à “estabilidade” que uma revolução popular vitoriosa pudesse representar: traduzindo para o português, a ameaça que poderia inspirar tendências democratizantes que prejudicaria a matriz das ditaduras sobre que os EUA se baseiam para controlar os povos do região.

Lembremo-nos que o apoio de Washington a seu ex-amigo era mais do que tácito; o comando militar dos EUA até negou acesso aos oficiais rebeldes iraquianos a equipamentos iraquiano capturado quando o massacre da população xiita prosseguia sob o olhar frio de Norman Stormin’. – ”  Estabilidade  “Extraído de O Triângulo Fatídico, 1999

 Para ler mais, confira coleção das  Melhores citações de Chomsky na AlterNet sobre a forma como a mídia corporativa realmente funciona nos Estados Unidos  .

 

Publicado on janeiro 19, 2013 at 6:12 pm  Comments (3)  

The URI to TrackBack this entry is: https://bibliot3ca.wordpress.com/7-ideias-brilhantes-de-noam-chomsky-sobre-o-imperio-americano/trackback/

RSS feed for comments on this post.

3 ComentáriosDeixe um comentário

  1. O cara é um gênio.. sem mais.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: