A EVOLUÇÃO DA LENDA HIRÂMICA NA INGLATERRA E FRANÇA. (Parte I)

Tradução José Filardo

Por Joannes Snoek.

(Palestra ditada pelo próprio Ir.’. Snoek no Freemason’s Hall patrocinada pela Sociedade Cornerstone em 13 de maio de 2001.)

O Mistério de Hiram Abiff. (Resumo)

Seguindo uma veia revisionista, o próximo a falar foi o Irmão Dr. Jan Snoek das Universidades de Heidelberg e Leyden, que é um especialista em história das religiões e rituais maçônicos. Em um trabalho profundo e provocativo intitulado “O que se perdeu no Terceiro Grau?

O Dr. Snoek afirmou que os ritos maçônicos que conhecemos hoje sofreram muitas mudanças. A primeira delas foi a ampliação de dois para três graus na década de 1720, e em segundo lugar a introdução da Lenda de Hiram, exposta pela primeira vez por Samuel Pritchard em outubro de 1730.

Em seguida, ele se referiu a algo muito curioso: Pritchard e todas as Divulgações subsequentes do século XVIII, declaravam que Hiram foi enterrado no Sanctum Santorum do Templo de Jerusalém. No entanto, tal coisa teria sido proibida por contaminar o Santuário.

O Dr. Snoek explicou que os maçons do século XVIII identificavam Hiram com o próprio Yahveh que teria ditado as dimensões do Templo ao Rei David antes que o trabalho fosse realizado por seu filho Salomão.

Ele apresentou uma série de ilustrações que mostram como as Divulgações continentais tinham o nome de Yahveh sobre o ataúde de Hiram no Terceiro Grau.

Segundo o Dr. Snoek, esta identificação do candidato com o Construtor do Templo e, portanto, por analogia com Yahveh é familiar aos historiadores da religião como uma “união mística“, onde o praticante tenta se unir misticamente à divindade. Em seguida passou à revista dos acontecimentos de 1813, quando o nosso ritual atual foi criado, e concluiu que as práticas modernas romperam o funcionamento dos trabalhos das duas Grandes Lojas, Antiga e Moderna.

Esta alteração fundamental para os três graus, removeu os aspectos místicos da Maçonaria do século XVIII, em uma aparente tentativa de tornar as cerimonias mais aceitáveis aos membros não-cristãos e um sabor mais adequado ao gosto do século XIX.

Leia mais em  https://bibliot3ca.wordpress.com/ a-evolucao-da-lenda-hiramica-na-inglaterra-e-franca-parte-i

Anúncios

The URI to TrackBack this entry is: https://bibliot3ca.wordpress.com/2017/05/16/a-evolucao-da-lenda-hiramica-na-inglaterra-e-franca-parte-i/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: