Maçonaria e Fascismo: Os anos sombrios

por Fulvio Conti

Tradução José Filardo

O fim da Primeira Guerra Mundial deixou a Itália presa em uma morsa, entre a ameaça comunista, “os vermelhos” e uma Igreja sonhando em reencontrar sua onipotência, defendendo um retorno aos Estados Pontifícios. O movimento fascista nascente aparece como libertador para todos aqueles herdeiros de Garibaldi, que exaltam a República secular e a unidade italiana. Os maçons serão então numerosos a se juntar às fileiras dos camisas negras. Mas a partir de 1922, Mussolini, que assume a liderança do movimento lhes promete um mundo melhor.

Considera-se a reunião que teve lugar em Milão em 23 de março de 1919, e que decidiu a fundação dos Fascios de Combate (Fasci di Combattimento) como o nascimento oficial do fascismo. Esta reunião teve lugar em um edifício na Piazza San Sepolcro – daí o nome de “são-sepulcristas” (sansepolcristi) dado então aos fascistas ditos de “primeira hora” – e mais especificamente em uma sala do Círculo industrial e comercial que o seu presidente, o empresário Cesare Goldmann, colocou à disposição de Mussolini. Nunca se chegou a conhecer o número exato de participantes desta reunião de importância histórica: com toda a probabilidade, eles eram apenas algumas dezenas, e talvez menos de cem. No entanto, é certo que muitos maçons estavam entre eles. Assim, o próprio Goldmann era filiado havia muitos anos ao Grande Oriente d’Itália (GOI) do palácio Giustiniani, a maior e mais antiga potência maçônica italiana: ela tinha cerca de vinte mil membros em quatrocentas e oitenta e duas lojas, das quais quatrocentas e dez na Itália e setenta e duas no exterior. A segunda potência, em ordem de importância, era a Grande Loja da Itália (Gran Loggia d’Italia), chamada “de la Piazza del Gesù”, fundada em 1908, depois que um grupo de maçons do Rito Escocês deixou o GOI. Em 1919, ela incluía entre seis e sete mil membros e centenas de lojas.

Leia mais em https://bibliot3ca.wordpress.com/maconaria-e-fascismo-os-anos-sombrios/

Publicado em Franc-Maçonnerie Magazine – No. 45 – Jan/Fev 2016 – ASSINE A REVISTA CLICANDO AQUI

The URI to TrackBack this entry is: https://bibliot3ca.wordpress.com/2016/04/15/maconaria-e-fascismo-os-anos-sombrios/trackback/

RSS feed for comments on this post.

4 ComentáriosDeixe um comentário

  1. Boa noite !!! Por favor convide meu namorado Maurício Bartolomeu da Silva para ser um Maçon ,ele e um polícia civil, ficarei grata somos de Caruaru Pernambuco, rua adelmo Fontoura n 76 são João da Escócia .o número dele é 81 991584721 eu me chamo elizandra Silva grata desde de já agradeço

  2. Quais as diferênças entre a ritualística na Grande Loja e Grande Oriente.

    Date: Fri, 15 Apr 2016 20:37:02 +0000 To: dnascimento67@hotmail.com

    • Nenhuma. São duas autoridades diferentes. Só isso.

  3. Para variar, a Maçonaria se posicionou mal. Escolheu um lado e escolheu errado. Nosso forte não é a política.
    AAhh, dirão alguns, mas a Maçonaria promoveu a libertação de vários povos, implantou a democracia pelas Américas, etc…
    Não é verdade!
    Alguns maçons foram importantes nestes movimentos.
    A Maçonaria Especulativa – apoiada pela nobreza, pois era por ela constituída – não o fez.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: